Amazônia virou cenário do crime sem fronteiras

Amazônia virou cenário do crime sem fronteiras

Organizações como o Comando Vermelho e o PCC “ampliam atividades ilícitas na grilagem de terras, exploração de madeira e no garimpo” – e o governo? Lava as mãos…

Com o título Floresta Sitiada, reportagem publicada pela revista Carta Capital, edição de 23 deste mês, de autoria de Ana Flávia Gussen, mostra algo desconcertante, que até seria inacreditável – seria. Para quem (ainda) supõe que o desafio para salvar o “pulmão do mundo” se limita ao combate ao desmatamento, temos algo mais arrasador: o PCC (Primeiro Comando da Capital) e o Comando Vermelho vêm agindo por lá como terríveis inimigos: “As rotas do narcotráfico são as mesmas utilizadas para o escoamento do ouro e da madeira ilegal. E um integrante do PCC chega a se vangloriar da vida criminosa”:

– Quem manda aqui é nóis (sic).

E agora “as facções também investem na grilagem de terras, na exploração de madeira e no garimpo”.

Quadrilha de 33 mil membros (pelo menos)  

Ainda da reportagem de Ana Flávia Gussen: “O PCC (Primeiro Comando da Capital) é considerado a maior facção criminosa do Brasil e conta, atualmente, com pelo menos 33 mil membros, de acordo com investigações da Polícia Federal e do Ministério Público de São Paulo”. E, do general Hamilton Mourão, vice-presidente da República e presidente do Conselho da Amazônia, temos uma declaração:

– Temos pouca gente em campo. E a Amazônia é grande demais para ser vigiada.

Hamilton Mourão. Foto: ABr.

E, encerrando o texto, Ana Flávia Gussen destaca:

– O governo Bolsonaro gastou 584,5 milhões de reais nas Operações de Garantia da Lei e da Ordem na Amazônia, e não conseguiu reduzir a violência nem os crimes ambientais. Também pouco foi capaz de retomar territórios controlados pelas facções na floresta. “A despeito da riqueza natural, a região está mergulhada na desigualdade e na pobreza”, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

E vale destacar: a floresta amazônica garante as chuvas para boa parte da América do Sul e tem papel central no combate ao aquecimento global e mudanças climáticas. Dá abrigo a imensa biodiversidade, com milhares de espécies de animais e de plantas, algumas ainda desconhecidas ou pouco estudadas. Resumindo: é berço da maior bacia hidrográfica do mundo. Representa um terço das florestas tropicais do planeta.

Precisa dizer mais?

Este texto é de responsabilidade do autor/da autora e não reflete necessariamente a opinião do Plural.
Comentários
Comments are closed
Translate »